header.jpg

logo clinica soliva

Julho, 2015

escova.jpg

Cuidados com a escova de dente: limpeza, armazenamento e substituição

Escovar os dentes diariamente tem um papel importante para a higiene oral pessoal, e na remoção de placa bacteriana. Cuidado adequado com a escova, e manutenção, também são considerações importantes para com a higiene oral. A ADA recomenda que os consumidores substituam as escovas de dentes aproximadamente a cada 3-4 meses, ou antes se as cerdas estiverem desgastados com o uso.

Nos últimos anos, os cientistas têm estudado se escovas de dentes podem abrigar microrganismos que podem causar infecção. Sabemos que a cavidade oral é o lar de centenas de diferentes tipos de microrganismos, portanto não é surpreendente que alguns destes microrganismos são transferidos para uma escova de dentes durante a sua utilização. Também é possível que os microrganismos presentes no ambiente, no qual a escova de dentes é armazenado, podem estabelecer-se na escova. Escovas de dentes podem até ter bactérias sobre elas dentro da caixa, uma vez que eles não são obrigados a vender a escova em um pacote estéril.

O corpo humano está constantemente exposto a microrganismos potencialmente nocivos. No entanto, o corpo é normalmente capaz de se defender contra infecções através de uma combinação de mecanismos passivos e ativos. A pele intacta e as membranas mucosas funcionam como uma barreira passiva a bactérias e outros organismos. Quando essas barreiras são desafiadas ou violadas, os mecanismos de ativos, tais como enzimas, ácidos digestivos, lágrimas, glóbulos brancos e anticorpos, entram em jogo para proteger o organismo contra doenças.

Embora estudos tenham mostrado que vários microrganismos podem crescer em escovas de dentes após a sua utilização, e outros estudos examinaram vários métodos para reduzir o nível dessas bactérias, existe evidência clínica insuficiente para suportar que o crescimento bacteriano em escovas de dentes irá levar a alguma doença específica na boca, ou efeitos sistêmicos de saúde.

Recomendações gerais para Escova de Dentes

A ADA e o Conselho sobre Assuntos Científicos forneceram as seguintes recomendações de cuidados com a escova de dentes:

Não compartilhe escovas de dentes. Compartilhando uma escova de dentes pode resultar em uma troca de fluidos corporais e / ou microrganismos entre os usuários da escova de dentes, colocando os indivíduos envolvidos em um risco superior a infecções. Esta prática pode ser uma preocupação particular para as pessoas com sistemas imunológicos comprometidos ou doenças infecciosas existentes.

Enxaguar as  escovas de dentes com água da torneira depois de escovar, para remover qualquer pasta de dente remanescente e detritos. Armazenar a escova numa posição vertical, se possível, e permitir que a escova de dentes seque ao ar até ser utilizada de novo. Se mais do que uma escova é armazenada na mesma área, manter as escovas separadas para evitar a contaminação cruzada.

Não cobrir escovas de dentes ou armazená-los em recipientes fechados. Um ambiente úmido, tal como um recipiente fechado, é mais propício ao crescimento de microrganismos do que o ar aberto.

Substituir escovas de dentes pelo menos a cada 3-4 meses. As cerdas tornam-se desgastadas com o uso, e a eficácia de limpeza irá diminuir. Escovas de dentes se desgastam mais rapidamente, dependendo de fatores exclusivos para cada paciente. Verifique as escovas frequentemente para este tipo de desgaste, e substitua com mais frequência se necessário. Escovas de dentes das crianças muitas vezes precisam ser substituídas com mais frequência do que as escovas para adultos.


Fonte: Conselho de Assuntos Científicos, novembro 2011
 
 
  Rua Miguel Lemos, 41 - cob. 01 ; Copacabana - RJ
Tel: 2287-2190, 2521-1244, 7833-8029
Site: www.clinicasoliva.com.br ; www.gembrasil.com.br